Slide

História

Conheça abaixo a história de nossa igreja desde os primeiros anos em Jundiaí.


A palavra JUNDIAHY, é conhecida como “o rio que possui muitos JUNDIÁ”, peixe de escamas semi-ósseas e que vive nos lodos dos rios e lagos.

Aos 28 de março de 1865, Jundiaí foi elevada à categoria de cidade e município. Com esta categoria e por ter uma boa produção agrícola, foi iniciada, em 1865, a estrada de ferro Santos – Jundiaí.  Alguns anos mais tarde já se erigia como um polo industrial, favorecida por se localizar entre as cidades de Campinas e São Paulo. O pequeno vilarejo foi crescendo e ganhando forma de cidade, para onde cada vez mais pessoas vinham, em busca de sustento e de um lugar tranquilo para morar. Os bairros começam a aparecer…


Por volta do ano de 1867, instalou-se, neste bairro, a ferrovia São Paulo Railway Company e, alguns anos depois, em 1886, tornou-se intensa a imigração italiana. O bairro leva este nome de “VILA ARENS” devido a uma oficina de máquinas agrícolas localizada na cidade de Jundiaí que, no ano de 1889, foi transferida para este Bairro. A oficina era dirigida pelos irmãos ARENS. Até este fato, o bairro era conhecido como “bairro das fábricas”, pois havia muitas fábricas atraídas para este local, com obtenção fácil de transporte pela ferrovia.

Assim sendo, o bairro começou a crescer e ganhar prestígio, sendo um local escolhido pelas famílias para morar.
Aos poucos, o bairro foi crescendo, foi preciso que “nascessem” as escolas, o comércio e o esporte. Hoje, o Bairro da Vila Arens é um dos locais mais tradicionalmente conhecidos de Jundiaí.


No dia 11 de Dezembro de 1922, chegaram a Jundiaí os primeiros padres Salvatorianos, Vicente Hirschle e Eucário Merker. A pedido do Cônego Higino de Campos, eles assumem a Capela de Santa Cruz, no alto da Vila Arens, hoje Praça Quintino Bocaiúva, popularmente conhecida como “Largo da Feira”.

No mesmo ano, aos 23/12/1922, o arcebispo de São Paulo, Dom Duarte Leopoldo e Silva, criou oficialmente a Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Vila Arens. O Decreto de criação da Paróquia indica a origem do título: “Porque os Padres Salvatorianos, aos quais seria confiada a Paróquia, “vieram no octavário da festa da Imaculada Conceição”.
No dia 14/01/1923, o Cônego Higino de Campos, pároco de Jundiaí, promulgava solenemente o referido decreto, tanto na Paróquia de Jundiaí, como também na Igreja Santa Cruz de Vila Arens. Enfim, no dia 21/01/1923, acontecia a solene inauguração da nova Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Vila Arens e a posse de seu primeiro Pároco, Pe. Vicente Hirschle e do Vigário Paroquial Pe. Eucário Merker.

No dia 9 de setembro de 1923, foi assinada, no Cartório do 1º Ofício de Jundiaí, a escritura do terreno para a construção da nova matriz, doado pela Companhia de Fiação e Tecidos São Bento à Mitra Arquidiocesana de São Paulo. Aos 14 de Agosto de 1927, era lançada a primeira pedra da futura Matriz.

Finalmente, no dia 28/01/1934, com enorme júbilo, dava-se a inauguração da nova e atual Igreja Matriz de Vila Arens. Em seu interior, destacam-se as pinturas do artista sacro Bruno De Giusti, que, na década de 70, pintou o interno da igreja. Nos quadros da pintura, estão retratadas pessoas reais da paróquia.
O órgão alemão e o carrilhão dos 4 sinos (um dos quais é um dos maiores da América Latina) são destaques também.

Tanto o orgão quanto os sinos foram danificados pelo incêndio que ocorreu na torre no ano de 1957. Os sinos, graças a uma campanha que foi feita na época, foram restaurados, sendo que o mesmo não ocorreu com o orgão, pela falta de profissional no ramo e ser um investimento financeiro muito alto.

Clero

Slide VIGÁRIO PAROQUIAL Pe. Fernando V. Rizzardo Pe. Luiz Dalmolin Spolti Pe. Itamar Roque de Moura PÁROCO VIGÁRIO PAROQUIAL Pe. Jair Carlesso VIGÁRIO PAROQUIAL Francisco Arantes DIÁCONO Francisco Terra Aguirra DIÁCONO
Pe. Itamar Roque de Moura , Pároco
Pe. Fernando Vitorino Rizzardo , Vigário Paroquial
Pe. Luiz Dalmolin Spolti, Vigário Paroquial
Pe. Jair Carlesso, Vigário Paroquial
Francisco Arantes , Diácono
Francisco Terra Aguirra, Diácono

Informações

Informações

BATISMO
Catequese de Adulto
CRISMA
Primeira Eucaristia
Curso de Noivos
Matrimônio

Liturgia Diária

A liturgia é o cume para o qual tende a ação da Igreja e, ao mesmo tempo, é a fonte de onde emana toda sua força, pois os trabalhos apostólicos se ordenam a isso: que todos, feitos pela fé e pelo batismo dos filhos de Deus, juntos se reúnam, louvem a Deus no meio da Igreja, participem do sacrifício e comam a ceia do Senhor (cf. SC 10).

Mensagem do dia

Horários

Contato